quarta-feira, dezembro 24, 2008

Natal e Ano Novo

O texto é da super amiga-mãe Deboritcha, mas resume bem o que gostaria de dizer nesses dias:

Lula, Obama e o menino do carrinho

Certa vez, um lindo menino, muito simples, recebeu um presente de natal, um pacote: um tênis, uma blusa, uma revista, um carrinho.

O olho dele brilhava, ele pulava, ele inteiro brilhava que ofuscava a roupa velhinha, o cabelo ressecado, a mancha no rosto, talvez até a barriguinha vazia.

Ele todo resplandecia.

Ele se destacou entre 11...

Tamanha era sua euforia.

Por milésimos de segundos pensei que a tristeza ia envadir meu coração, ou será que seria a alegria?

Difícil, quando os dois sentimentos se misturam, a gente não sabe o que a gente sente, talvez foi assim que surgiu a fraternidade, que é impulsionada pela alegria do servir, mas também puxada pela tristeza de ver que tudo aquilo podia ser diferente...

Não deu tempo, eu viajei naqueles olhos, me banhei naquele brilho e lembrei que não faz muito tempo, goste vc dele ou não, eu mesmo tenho minhas opiniões muito próprias...

Um menino igualzinho, veio num pau de arara, de favor, sem lenço nem documento, sem comida, sem sustento e desbravou São Paulo.

Eles eram tão iguaizinhos, os dois meninos.

Do norte veio o brilho dele, e ele, virou presidente, nosso presidente. Desbravou o mundo.

Sem recurso nenhum.

Hoje é respeitado, em plena crise, talvez a maior do século.

E quis o AUTOR de nossos livros, que na mesma crise um outro menino, negro, que tinha em comum com estes dois o mesmo brilho, virasse presidente da nação hegemônica, da grande potencia, EUA...

Hoje a hegemonia titubeia, o torneiro governa, o negro inspira MUDANÇA.

Por um segundo, penso que o mundo mudou, e tudo aquilo que parecia impossível, pode acontecer.

Não dá tempo, não precisa nem ver a capa da revista da semana que diz que no continente vizinho, um genocidio silencioso acontece, vejo outro menino de braços magrinhos, e brilho ofuscado no olhar...

Aqui mesmo no Brasil, somos ainda senhores, de tantos escravos, afundados na corrupção, na "bola", na corrente que acredita, que é assim mesmo, se não vc não dança, não vive...

Me sinto então, como este menino, perdido sem esperanças, á merce da vida. Tem que mudar um sistema todo, para acontecer alguma coisa.

Me sinto então, de novo, como este menino, que o olho brilha e nem sabe o poder que tem, nem sabe, que quem sabe, ele possa ser PRESIDENTE, possa mudar o mundo, ou quem sabe, ele tenha a grande missão de ser um bom pai, simplesmente um chefe de família, uma grande missão e para poucos também.

Meu peito se enche, meu braço se abre, minha voz dentro de mim grita:

É POSSIVEL, SIM. O QUE DIFERENCIA-NOS UM DOS OUTROS E O QUE NOS FAZ TÃO IGUAIS, se chama:

SONHO!!!!!!!!!

O brilho de todas as estrelas, de todos os meninos...

A todos os meninos e meninas de 2009, muito sonho, e muita força pra BRILHAR.

domingo, dezembro 07, 2008

Humanos?

Chorei copiosamente ao assistir (ou tentar) o filme deste link Terráqueos.

Pra mim é muito difícil entender a falta de carinho, consideração e respeito por outros seres vivos. Nestas horas, questiono qual seria o nosso papel neste planeta, tão lindo e completo, mas tão negativamente explorado e destruído pelos humanos.

Pollyanna que sou, tento levar para outro lado. Cabe às pessoas mais sensíveis, por assim dizer, levar um pouco mais de consciência e solidariedade ao restante do mundo. Porque, pra mim, é claro que não precisava ser assim.

Mas eu sinto que um pouquinho do meu coração se despedaçou e, não foi à toa, que precisei interromper o filme no meio, porque comecei a passar mal. Mas sinto-me no dever de divulgar, berrar, fazer alguma coisa, ainda que mínima, para que isso não se repita...

Precisamos nos unir para fazer um mundo um pouco melhor para as futuras gerações.